Noticias

CRMV-RO participa de anúncio de extinção da vacinação contra a febre aftosa em Rondônia

Responsive image

O presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Rondônia (CRMV-RO), Julio Peres, participou de audiência pública na quarta-feira (4), no plenário da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), onde foi anunciado pelo governador Marcos Rocha, a extinção da vacinação contra a febre aftosa em todo o estado a partir de 2020. A audiência reuniu produtores rurais de todas as regiões de Rondônia.

Também estiveram presentes na audiência pública, o presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia (ALE-RO), deputado estadual Laerte Gomes, o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargador Walter Waltenberg Silva Junior, o presidente do Tribunal de Contas de Rondônia, Edilson de Sousa, o secretário de Estado da Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, o presidente da federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon), Hélio Dias, entre outras autoridades.

Para o presidente do CRMV-RO, Júlio Peres, que também é presidente da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), sem a vacinação, “o estado irá contar cada vez mais com o apoio do produtor rural, em que a declaração do rebanho, junto à Idaron, passa a ser um dos principais pilares desta nova fase”.

De acordo com a auditoria do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Rondônia, hoje, tem potencial suficiente para se tornar área livre de febre aftosa sem a vacinação. O anúncio foi feito no dia 21 de novembro, durante reunião promovida pelo Bloco I, que aconteceu em Rio Branco (AC).

Segundo Julio, nesta sexta-feira (6), o Mapa será informado sobre as estratégias que serão adotadas por Rondônia para a efetiva retirada da vacina, considerando a campanha que se encerrou em novembro a última vacinação no estado. “Ou seja, a próxima campanha, que seria em abril e maio de 2020, não acontecerá”, destacou.

Última vacinação 

Falta pouco para que os dados referentes a 47ª campanha de vacinação contra a Febre Aftosa sejam consolidados, mas, de acordo com levantamento parcial, de todo o rebanho que deveria ser vacinado, cerca de 6 milhões de cabeças, 99,7% foram imunizados.  “Rondônia tem um rebanho de mais de 14 milhões de cabeças, desse total, apenas 6 milhões estavam aptos à vacina. Agora, com o fim do prazo para declaração, foi iniciado o trabalho de acompanhamento para notificar os produtores que não declaram a vacina ou o rebanho”, salientou Júlio Peres. “Contudo, o fato de um produtor não ter declarado não implica na não vacinação, ele pode ter esquecido de declarar ou ter tido alguma outra justificativa”, acrescentou. 

No total, 980 pecuaristas deixaram de declarar a vacina nesta última campanha.

Chancela 

O próximo passo a ser dado, é obter a chancela da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), para a disputa de novos mercados para a carne bovina de Rondônia, tendo as atenções voltadas para exportações de países europeus e asiáticos.