Noticias

Vice-presidente do CRMV-RO, Licério Magalhães é o entrevistado da série “Conheça a gestão 2019-2022”

Responsive image

O médico veterinário e vice-presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Rondônia (CRMV-RO), Licério Magalhães, é mais um entrevistado da série “Conheça a gestão 2019-2022”. No bate-papo, Licério compartilha suas experiências e o porquê da escolha pela profissão.

Licério Corrêa Soares Magalhães é natural de Pimenta Bueno, graduado em medicina veterinária, com especialização em defesa sanitária, pelo Centro Universitário Fimca. Foi responsável pelo programa de suinocultura do estado na Secretaria Estadual de Agricultura (Seagri), de 2010 à 2012.

Atuou como secretário adjunto de agricultura de Porto Velho entre 2013 e 2016, coordenando a Feira de Negócios Tecnologias Rurais Sustentáveis de Porto Velho (Portoagro) de 2015 à 2016. Foi gerente de desenvolvimento da pecuária na Seagri entre 2017 e 2018; coordenou a 7ª edição da Rondônia Rural Show em 2018. Atualmente, Licério é diretor executivo da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron).

Confira a entrevista com o vice-presidente

- Por que escolheu a carreira profissional?

Escolhi a medicina veterinária por sempre conviver com animais, desde que nasci nas propriedades rurais de meus pais e avós. Sempre fui incentivado pelos meus pais e avós no manejo e na criação de animais, estando junto nas campanhas de vacinações dos bovinos. 

- Como se sente fazendo parte da diretoria do CRMV-RO?

Me sinto honrado em fazer parte de uma diretoria comprometida com as profissões de médico veterinário e zootecnista. Fazer com que o CRMV-RO, através do seu principal papel que é a fiscalização, possa garantir aos profissionais, usuários e sociedade, a atuação dos profissionais, garantido qualidade e a atuação das profissões.

- O que te motiva a fazer parte do CRMV-RO? 

O fato de poder contribuir para uma categoria, que é tão importante para a sociedade, me motiva fazer parte do CRMV-RO.

- Quais as expectativas para a gestão que iniciou?

Aumentar o número de fiscalizações e o apoio a educação continuada.